Decio Martins de Medeiros

 

Sobre os Medeiros

Brazão Medeiros
Nome Medeiros
Medeiros na Ilha da Madeira
Cronologia em Portugal
Medeiros no Brasil
Cronologia no Brasil
Familia Medeiros , Passos , MG , Brasil

Volta ao inicio da pagina

Brazão Medeiros

 

Volta ao inicio da pagina

Nome Medeiros

Fonte : Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura - Volume 13 -Editorial Verbo , Lisboa .
MEDEIROS - GENEALOGIA. Familia portuguesa que parece ser natural do lugar de Medeiros ,latitude Norte 41û 48' 00" , longitude Oeste 7û 47' 00" , na freguesia de Vila de Chã, no concelho de Montalegre, distrito de Vila Real. O 1º de que temos conhecimento é Rui Gonçalves de Medeiros, que viveu em Évora, em tempo de D. João I, foi seu partidário, e com o povo expulsou do Castelo de Évora o alcaide, Alvaro Mendes de Oliveira, por ser partidário do rei de Castela e de sua mulher,D.Brites, filha do rei D.Fernando e de D.Leonor Teles. Foi casado e teve geração. Querem os genealogistas que Francisco de Medeiros,casado com Helena Barros Pereira, que foi secretário da Casa da India, seja seu filho, o que cronologicamente não nos parece possível. Quando muito, se houve ligação familiar, julgamos possivel ser neto ou bisneto. Era irmão de Francisco Medeiros, o Padre Gonçalo Medeiros (m. Lisboa , 4.4.1552). Era natural de Freixo de Espada `a Cinta. Considerado de grande perfeição e virtude, foi o 1º padre que em Portugal vestiu o hábito da Companhia de Jesus, tendo sido confessor do rei D.João III e da rainha D.Catarina. Vivia em Bragança,em 1711, João Lourenço Medeiros, natural de Tinhela que, segundo uma habilitação de genere de 1693, tomou posse do cargo de coadjutor e sucessor do conego Francisco Cabral de Aragão, da sé da mesma cidade. Era filho de Afonso de Medeiros Teixeira, de Tinhela, e de D. Maria Loureiro de Mesquita, dos Cortiços , neto paterno de João de Loureiro de Mesquita, dos Cortiços, e de sua mulher D.Filipa Buiça, de Miranda do Douro. Não temos conhecimento se teve qualquer ligação de familia com os anteriores. Um ramo da familia Medeiros,passou `a madeira e aos Açores, Rui Vaz de Medeiros, que viveu no tempo do capitão Rui Gonçalves, era natural de Ponte de Lima ou de Guimarães. Tendo fugido da casa paterna, foi, primeiro,para a Madeira, onde casou com uma filha de um nobre cidadão,chamado Jorge de Mendonça. Depois passou com sua familia aos Açores, tendo fixado residência na ilha de S. Miguel, onde lhe foram doadas muitas terras, de sismaria, no termo da vila de Lagoa. Com geração. As armas dos Medeiros são: de vermelho, cinco cabeças de águia de oiro. Tibre:águia nascente, de vermelho,armada de oiro. Alguns autores dizem que as cabeças das águias são cortadas em sangue , e que o timbre é uma águia inteira e ão nascente. Cartas de brasão, em: 1543,1571,1733,1756,1761,1788,1790 e 1796.Estas armas também foram usadas pelos de apelido Madeira.
Fonte: Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira - Volume XVI-Editorial Enciclopedia,Lisboa
MEDEIROS-GENEALOGIA.A origem desta família não é muito clara, porquanto os genealogistas a pretendem deduzir da que se chamou das Medas, o que não é muito aceitável, pois, se Medeiros quer dizer das medas, ou que faz medas, ou lugar onde há medas, não se explica que seja precedido de preposição, indicativa de origem geográfica, tanto mais que há povoações chamadas Medeiros.Martim Sanches das Medas, que parece contemporâneo de D. Afonso III, foi muito bom cavaleiro e na lide do Porto, no ano de 1245, levou o pendão do Conde D. Martim Gil de Soverosa, grande senhor da época, que guerreava D. Rodrigo Sanches, filho do rei D. Sancho I, o qual ficou vencido e morto neste combate. Casou Martim Sanches com D. Dórdia Nunes de Aguiar, filha de Nuno Martins de Aguiar, descendente de D. Arnaldo, senhor de Baião, e de D. Gonçalo Mendes de Sousa, de cujo matrimonio nasceram vários filhos que usaram o apelido das Medas, alcançando os genealogistas, por algumas linhas, até terceiros netos, sem, contudo, fazerem a ligação destes com os Medeiros.O mais antigo que se conheça deste apelido é Rui Gonçalves de Medeiros, que tomou o partido do Mestre de Avis contra D. João I de Castela, o povo de Évora, por o alcaide do seu castelo, Álvaro Mendes de Oliveira, defender o partido da Rainha D. Brites, o expulsou, entregando o castelo a Rui Gonçalves, que o sustentou pelo pretendente português, o Mestre de Avis. Dizem alguns autores que este Rui Gonçalves era filho de Gonçalo Martins das Medas, filho de Martim Sanches, entroncamento que a cronologia não permite. De Rui Gonçalves de Medeiros descendem os que se conhecem deste apelido. Um ramo de Medeiros fixou-se no século XV, no Algarve, e outro ramo, também no mesmo século, na ilha de S. Miguel, mas eram ambos oriundos de Ponte de Lima.Usam o apelido Medeiros os condes-marqueses da Praia e de Monforte,os viscondes-barões das Laranjeiras e os atuais viscondes do Botelho,familias todas originarias da ilha de S.Miguel,mas nenhuma delas tem a varonia deste apelido.As suas armas são: de vermelho, cinco cabeças de águia, de ouro. Timbre:águia nascente, de vermelho, armada de ouro.
Fonte: Armorial Lusitano - Genealogia e Heráldica, Representações Zairol,Ltda, Lisboa, 1961
MEDEIROS-A origem desta família não é muito clara, porquanto os genealogistas a pretendem deduzir da que se chamou das Medas, o que não é muito aceitável, pois, se Medeiros quer dizer das medas, ou que faz medas, ou lugar onde há medas, não se explica que seja precedido de preposição, indicativa de origem geográfica, tanto mais que há povoações chamadas Medeiros.Martim Sanches das Medas, que parece contemporâneo de D. Afonso III, foi muito bom cavaleiro e na lide do Porto, no ano de 1245, levou o pendão do Conde D. Martim Gil de Soverosa, grande senhor da época, que guerreava D. Rodrigo Sanches, filho de D. Sancho I, o qual ficou vencido e morto neste combate. Casou Martim Sanches com D. Dórdia Nunes de Aguiar, filha de Nuno Martins de Aguiar, descendente de D. Arnaldo, senhor de Baião, e de D. Gonçalo Mendes de Sousa, de cujo matrimonio nasceram vários filhos que usaram o apelido das Medas, alcançando os genealogistas, por algumas linhas, até terceiros netos, sem, contudo, fazerem a ligação destes com os Medeiros.O mais antigo que se conheçe deste apelido é Rui Gonçalves de Medeiros, que tomou o partido do Mestre de Avis contra D. João de Castela, o povo de Évora, por o alcaide do seu castelo, Álvaro Mendes de Oliveira, defender o partido da Rainha D. Brites, o expulsou, entregando o castelo a Rui Gonçalves, que o sustentou pelo pretendente português, o Mestre de Avis. Dizem alguns autores que este Rui Gonçalves era filho de Gonçalo Martins das Medas, filho de Martim Sanches, entroncamento que a cronologia não permite. De Rui Gonçalves de Medeiros descendem os que se conhecem deste apelido. Um ramo de Medeiros fixou-se no século XV, no Algarve, e outro ramo, também no mesmo século, na ilha de S. Miguel, ambos oriundos de Ponte de Lima.As armas dos Medeiros são: De vermelho, com cinco cabeças de águia, de ouro,postas em sautor. Timbre: uma águia estendida, sainte, de vermelho, armada de ouro.
Fonte: Dicionário Das Famílias Portuguesas,pag.248, por D. Luiz de Lancastre e Tavora (Marquês de Abrantes),Quetzal Editores, Lisboa, 1989
MEDEIROS--- Nome de muito prováveis raízes toponímicas, foi contemporâneo e partidário de Mestre de Avis um Rui Gonçalves de Medeiros, que assumiu a alcaidaria-mor de Évora, depois dos tumultos que envolveram esta cidade no início da crise 1383-85. Dele descendem os mais Medeiros que se conhecem,um ramo dos quais se fixou na ilha da Madeira,quando se iniciou a colonização da ilha. As suas armas são:de vermelho, cinco cabeças de águia de ouro, em aspa.Timbre: uma águia de vermelho, sainte, estendida e armada de ouro.
Fonte: Anuario Genealogico Brasileiro de 1945 A CONFIRMAR
MEDEIROS---Madeira e Medeiros sao quase que por assim dizer sinonimos genealogicos.Tem por armas em campo vermelho sinco cabecas de Aguia de ouro em aspa.Tymbre: meya Aguia armada de ouro.Achao-se em tempo Del Rey D.Diniz.Parece estar o seu solar em S.Joao de Madeira,no julgado da Feyra.Sao dois os brazoes:um eh este acima descrito e o outro eh o de "Jorge Madeira: de vermelho,com cinco castelos de ouro,lavrados de negro postos 3 e 2"
D.Diniz,este foi o sexto rei de Portugal (1279-1325),chamado o trovador,casou-se 6 vezes uma das quais com Isabel de Aragon.
Fonte : The Historical Research Center-23 de julho de 1993-Registro nº 670
O sobrenome portugues Medeiros deriva , segundo alguns , de um local chamado Medeiros onde o primeiro a usar este sobrenome viveu ou possuiu propriedades .Assim , o primeiro a usar o sobrenome Medeiros foi alguem que era identificado pelos membros de sua comunidade como "aquele que veio de Medeiros" .Contudo , nem todos os genealogistas concordam com a origem deste sobrenome .Segundo alguns o sobrenome Medeiros deriva da palavra portuguesa Meda que significa " empilhado ; amontoado " denotando então que , o primeiro a usar este sobrenome foi alguem cujo trabalho requeria empilhar algo ou que vivia perto de algo empilhado .De acordo com esta opinião , o progenitor desta familia foi Martim Sanches das Medas , que viveu durante o reinado do Rei Afonso III e que lutou bravamente durante a batalha do Porto no ano de 1245 .Nesta batalha , o mencionado cavaleiro foi o portador-mor do Conde Martim Gil de Soverosa , grande lorde daqueles tempos que lutou com Rodrigo Sanches ,filho do Rei Sanches I . Foram os descendentes de Martim Sanches das Medas , de fato a terceira geração , que primeiro usou a variante Medeiros .A primeira pessoa registrada usando o sobrenome Medeiros foi Rui Gonçalves de Medeiros que deu seu apoio ao Mestre de Avis na sua disputa com Rei Juan I de Castilla .Ele recebeu como recompensa o castelo da cidade de Evora.Um ramo da familia Medeiros viveu no Algarve ao sul de Portugal durante o seculo XV e no mesmo periodo , um outro ramo viveu na ilha deSão Miguel . Ambos ramos vieram originalmente de Ponte de Lima.

A Palavra Meda

 
 
Méda.(substantivo feminino) Monte conico de trigo, de lenha , monte , montão.
Meda. (geographia ) Villa , freg. e cabeça de concelho do distr. da Guarda : 1,200 hab. (Portugal) .
 
Fonte :
Diccionario Encyclopedico da Lingua Portugueza ,por Simões da Fonseca ,
Livraria Garnier ,Rua do Ouvidor , 109 Rio de Janeiro
impresso Chantenay,15,Rue de L'Abbé-Grégoire,Paris 7-1927

O substantivo masculino Medeiro

Medeiro (substantivo masculino) Lugar em que se juntam medas de milho; meda: "Olhai se juntais bem esses molhos, diabos de raparigas. Ide para acolá, para onde aqueles homens fazem os medeiros", Teixeira de Queirós, Comédia do Campo , I , p.88.

Fonte : Grande Enciclopledia Portuguesa e Brasileira - Volume XVI-Editorial Enciclopedia,Lisboa.

Volta ao inicio da pagina

Medeiros na Ilha da Madeira

 
Fonte : http://www.madinfo.pt/Organismos/ceha/elucidario/Tabua.htm
Tabua (Freguesia da). Parece que a origem do nome desta paróquia se deve filiar na existencia dum vegetal que se chama tabua. Em botânica existem a Typha angustifolia e a Typha latifolia, e embora estas plantas não se encontrem presentemente nesta ilha, como a flora madeirense sofreu modificações sensíveis, em parte provocadas pelo homem, é licito supor que em antigos tempos tais plantas ou alguma delas existisse dentro da área desta freguesia. Nas Canárias encontra-se uma espécie de Typha, não sendo portanto para estranhar que este gênero tivesse representante na Madeira.
Em época mais afastada a grafia desta palavra era Atabua, como se vê em muitos documentos antigos e no respectivo arquivo paroquial. Foi a partir de 1838 que o padre Antonio Francisco Drumond e Vasconcelos alterou a forma primitiva do vocábulo, começando a escrever Tabua e tendo os seus sucessores até o presente adoptado a nova ortografia, que é hoje geralmente seguida por todos.
O anotador das Saudades dá o ano de 1586 como o da criação desta freguesia.
João Medeiros de Miranda, Manuel de Espinola, Antonio Velho de Amil, Luciano Espinola e Rui Gomes foram os primeiros sacerdotes que exerceram funções paroquiais nesta freguesia.
Desta freguesia, disse em 1590 o Dr. Gaspar Frutuoso: ´Da Ribeira Brava meya legoa, está a Ribeira da Tabua com huma freguesia de quasi trinta fogos. Teve já dous engenhos e tem muitas vinhas, cannas e fructas, mas o vinho he semelhante ao da Ribeira Brava, sua vizinha. Desta Ribeira da Tabua são os Medeiros gente nobre e honrada. Observa com razão o anotador das Saudades que naquela época tinha esta paróquia mais de 100 fogos e não apenas 30, como claramente se deduz dos alvaras régios respeitantes as congruas paroquiais, que vem ali citados.
Com respeito `a familia Medeiros, diz o Dr. Rodrigues de Azevedo que Ruy Vaz de Medeiros foi um dos primeiros povoadores que vieram para a Madeira: teve de sesmaria muitas terras na Atabua, da ribeira para o sitio do Zimbreiro. Outro antigo povoador da Tabua, diz ainda o Dr. Azevedo, foi o francês Ruy Vaz Urzel, que veio para esta ilha por 1480. Foram também ali antigos colonizadores e povoadores Alvaro Martins, Jorge Lourenço, Antonio Rodrigues, Manuel Rodrigues, Antonio Luis, Diogo Fernandes, etc..
Os principais sítios são: Praia, Lugares, Teraa, Faja, Ribeira, Boqueirão, Pico do Ferreiro, Bica de Pau, Corujeira, Zimbreiro, Massapés, Candelaria, Ribeira da Caixa, Lugar da Serra e Barbuzano.
Quando em 1914 se criou o concelho da Ribeira Brava, ficou a freguesia da Tabua fazendo parte dele, tendo então sido desmembrada do concelho da Ponta do Sol. Tem esta freguesia 2235 habitantes (1921).
 
Fonte : LusaWeb
Genealogia da Ilha da Madeira
 
Ferreiras --- Procedem de Gonçalo Aires Ferreira, companheiro de Gonçalves Zargo, filho de Gomes Ferreira, Porteiro-Mor do Rei D.João 1, e de D. Isabel Pereira de Lacerda (dos Ferreiras, do Morgado de Cavaleiros, do Porto). Teve terras de sesmaria desde Santa Luzia até o Ribeiro do Lazareto, sendo seus filhos Adão e Eva> os primeiros que nasceram nesta ilha ligados hoje com algumas das principais familias da Madeira e Porto Santo, como Drumonds e outros.
Armas dos Ferreiras: Em campo vermelho, quatro faixas de ouro. Timbre: uma ema de sua cor com uma ferradura de ouro no bico.
 
Machados --- Procedem de Lopo Machado (dos Machados) de Guimarães (Portugal), fidalgo de linhagem antiga, cujo filho de Pedro Machado, Cavaleiro Fidalgo, casou por 1500 com Leonor Dias Vilas Boas.
Houve filhos, entre os quais Diogo Machado. Provém dum seu bisneto (João ou Jerónimo), Machado de Miranda, casado em S. Gonçalo, por 1594, com D. Francisca de Velosa, a geração actual existente nesta ilha.
Armas dos Machados: Em campo de vermelho. cinco machados de prata, com os cabos de ouro, postos em sautor. Timbre: dois machados em aspa, atados com um troçal verde.
 
Maias --- Procedem de Antão da Maia, natural de Matosinhos (Portugal), cujo filho Pedro da Maia cascu por 1600 com Maria Antónia Linharco. É seu descendente Norberto António de Ornelas, de Ponta Delgada.
 
Martins Anes --- Procedem de Jorge Martins, casado por 1490 com Luiza Gomes que veio da Ilha do Faial (Açores). Fez assento na Vila da Ribeira Brava. Seu filho Martim Anes, aio do 4.o Donatário do Funchal, esteve com este na tomada de Azamor e foi «homem principal na Vila da Ribeira Brava desta ilha». Martim Anes casou duas vezes, a primeira com Beatriz Homem, dos Homens Falcões, e a segunda com Bárbara Rodrigues (ou Gomes), havendo de ambos descendência abundante espalhada por S. Roque, Monte e Santo António. Descendem deste tronco Francisco Pereira de Oliveira, de Santo António, e outros.
 
Medeiros
---Ver: Mideiros Mendonças.
 
Mideiros Mendonças --- Procedem de Rui Vaz de Medeiros, de Ponte do Lima (Portugal), casado nesta ilha com D. Ana (ou Mécia) Gonçalves de Mendonça, filha de Jorge de Mendonça, nobre (doa Mendonças Furtados). Teve sesmaria na Tabua, e deixou geração nesta freguesia, Ponta do Sol e Funchal, com boas
ligações de sangue. Passou depois aos Açores onde tem também geração.
--- No Porto Santo existem descendentes dos Mideiros da Ilha Terceira (Açores), tendo alguns adoptado o apelido de Oliveira, de sua mãe.
 
 
Fonte :Seridó, de José Augusto Bezerra de Medeiros
A respeito da origem dos Medeiros,"que tiveram seu principal assento na Vila da Lagoa",escreveu o padre Gaspar Frutuoso,no seu trabalho "Saudades da Terra:,"Historia Genealogica de Sam Miguel",elaborado em 1590,e publicado muitos anos depois,o seguinte:"Rui Vaz de Medeiros,de nobre geração,veio no principio da povoação desta ilha(Sam Miguel),em tempo do Capitão Rui Gonçalves,primeiro do nome,de Ponte de Lima,ou de Guimarães,fugido a seu pai,indo ter primeiro a ilha da Madeira,onde casou honradamente com uma filha d'um nobre cidadão chamado Jorge de Mendonça,de quem tem muitos parentes hoje em dia deste apelido dos Mendonças e Furtados:teve na dita ilha muita amizade com Rui Gonçalves da Camara,irmão do capitão dela,que depois o foi desta; em cujo tempo veio a ela:porque conhecendo-a lá, vendo sua riqueza e nobreza,como se tratava com cavalos na estrebaria,criados e escravos em casa,que o dito Rui Vaz,tinha juntamente com sua boa condição,o trouxe a esta ilha,onde lhe deu muitas datas de terras de sesmaria,no termo da Vila da Lagoa,de que foi muito abastado;e houve de sua mulher chamada Ana Gonçalves,filhos".E enumera os seguintes: Vasco de Medeiros,casado com Catarina de Ponte,filha de Fernando Rodrigues,dos nobres da Lagoa;Rafael de Medeiros,casado com uma filha de Antonio Roiz Carneiro,governador da ilha de Santa Maria;João Vaz de Medeiros,casado com Isabel de Frias;Jordão Vaz de Medeiros,casado em Vila Franca com uma filha de Francisco Afonso e Branca de Paiva;um filho que faleceu solteiro; Branca Dias de Medeiros que se casou com Diogo Afonso da Costa Cogombreiro,Guiomar Roiz de Medeiros,casada com Lope Anes de Araujo;e Maria de Medeiros,que casou tres vezes.

Volta ao inicio da pagina

Cronologia em Portugal

 
Consulte o quadro cronologico em Portugal referente ao periodo do possivel surgimento da familia Medeiros em Portugal , e sua migração para a Ilha da Madeira e Açores .

Volta ao inicio da pagina

Medeiros no Brasil

 
Existem no Brasil varios ramos de Medeiros vindos de Portugal continental e das ilhas nas mais diversas épocas a partir do descobrimento do Brasil em 1500.

O Capitão Antonio Ferreira de Medeiros é o patriarca do ramo da Familia Medeiros da cidade de Passos , estado de Minas Gerais , Brasil ; filho do imigrante portugues Manoel Jorge de Medeiros , natural da Ilha de Faial nos Açores , e de Maria Ferreira de Jesus , natural de Aiuruoca , Minas Gerais.

Outros ramos de Medeiros que vieram para o Brasil estão indicados na lista de outras paginas de Medeiros .

Cronologia no Brasil

 
Consulte o quadro cronologico no Brasil referente ao periodo da chegada de ramos da familia Medeiros ao Brasil .

Volta ao inicio da pagina Ou Vá para:

a pagina inicial A Formula do Sucesso
a pagina de Métodos
a pagina de Auto-Motivadores

Material de Referencia:

Fontes de Consulta e Porta de Saída

Interessado em algum dado em especial?
Envie-me um e-mail para deciomedeiros@yahoo.com.br

 


This page hosted by GeoCities Get your own Free Home Page